Heathcliff

Continua após anúncio

Personagem masculino central da trama, amor de Catherine e também o anti-herói da história, Heathcliff é frequentemente considerado como um arquétipo do torturado romântico herói byroniano cuja raiva, ciúme e intensidade da paixão consome e destrói a si mesmo e a todos a sua volta.

Descrito como tendo o aspecto de um “cigano de pele escura”, ele foi encontrado ainda criança nas ruas de Liverpool e, presumivelmente órfão, foi levado para o Morro dos Ventos Uivantes pelo Sr. Earnshaw e relutantemente recebido pelo resto da família. Em especial pelo seu filho Hindley. Porém Catherine, irmã de Hindley, logo se afeiçoa a Heathcliff e o amor dos dois se torna o tema central do primeiro volume da obra, enquanto a sua vingança e suas consequências são o tema do segundo.

Heathcliff pode ser visto como um reflexo do seu passado psicológico: o abuso, a negligência e o desprezo daqueles com quem cresceu o tornaram vingativo, abusivo e escarnecedor. Ele é mais associado ao seu amor juvenil por Catherine do que por seus anos finais de vingança na segunda metade da obra, no qual ele se torna um homem amargo e atormentado embora haja uma série de incidentes no início de sua vida que mostram que ele já era uma pessoa aborrecida mal-intencionada desde o início. Sua natureza complexa, fascinante e totalmente bizarra faz dele um personagem raro e muitas vezes difícil de avaliar, com componentes mistos de herói e vilão.

Sua posição na sociedade, sem status (‘Heathcliff’ serve tanto como o seu nome, quanto como seu apelido), é muitas vezes objeto de críticas marxistas.

Heathcliff | Biografia

Um garoto de rua descoberto nas ruas de Liverpool e criado pela família Earnshaw em Yorkshire. O passado e a infância de Heathcliff antes de sua misteriosa adoção são apenas sugeridos por Brontë. De acordo com os temas sobrenaturais presentes no romance, especula-se que ele poderia ser um demônio ou uma alma infernal com sua aparência fielmente lembrando um cigano.

Uma criança silenciosa e solitária, Heathcliff é inicialmente rejeitado tanto por Catherine Earnshaw quanto por seu irmão mais velho, Hindley; enquanto Catherine posteriormente se torna sua amiga e amor, Hindley continua a ressentir-se dele, vendo-o como um intruso que roubou o afeto do seu pai. Após a morte do Sr. Earnshaw e sua herança da sua propriedade, o rancoroso Hindley passa a tratar Heathcliff como pouco mais que um criado e assim o faz trabalhar nos campos, o que cria raiva e ressentimento por toda a vida de Heathcliff. Apesar disso, Catherine permanece perto de seu irmão adotivo.

No entanto, durante o passar dos anos, Catherine se aproxima de Edgar Linton, um jovem tímido e bem-educado da propriedade vizinha, Thrushcross Grange, que lhe pede em casamento. Ela aceita, mas insiste que seu verdadeiro e único amor é Heathcliff. Ela alega que não pode se casar com ele porque ele “iria degradá-la” e que os dois seriam mendigos se a união ocorresse. Ela declara sua paixão por ele em várias frases como “seja qual for a matéria de que as nossas almas são feitas, a minha e a dele são iguais”, e a famosa frase “eu sou Heathcliff”. Heathcliff deixa O Morro dos Ventos Uivantes amargurado ao ouvir secretamente Catherine dizer que iria se casar com Linton em vez de casar-se com ele e que apesar de partir o coração de Heathcliff, isso faria sua fortuna.

Heathcliff desaparece por três anos até retornar como um homem rico e diferente. Nenhuma sugestão é dada sobre onde Heathcliff estava e como ele fez sua fortuna ao longo de sua ausência de três anos. Ao retornar, ele está implacavelmente determinado a destruir aqueles que o prejudicaram e impedi Linton de ficar com Catherine, estabelecendo seu status de anti-herói em vez de herói romântico. Ele não apenas engana Hindley, que caiu no alcoolismo e no jogo depois da morte de sua esposa, Frances, tomando a propriedade do Morro dos Ventos Uivantes como também tira proveito da irmã de Edgar Linton, Isabella, e se casa com ela, para depois passar a tratá-la de maneira cruel e desdenhosa. Embora ele diga a Catherine que ele despreza Isabella e que jamais imaginasse que Catherine queria que ele se casasse com a irmã mais nova de Edgar, o casamento dele e de Isabella resultaria na herança da Granja Thrushcross. E isso só pode ser conseguido por Heathcliff forçando seu filho a se casar com a filha de Cathy, que se chama Catherine.

Após a morte de Catherine Earnshaw, a crueldade vingativa de Heathcliff se intensifica, visando destruir não apenas seus inimigos, mas também seus herdeiros – Hareton, filho de Hindley e Frances Earnshaw, e Catherine, filha de Edgar Linton e Cathy. Heathcliff força seu filho doente, Linton, que se parece inteiramente com sua mãe, Isabella, a se casar com Catherine Linton, filha de Cathy e Edgar, em uma tentativa de ganhar o controle da Thrushcross Grange. Pouco depois que os dois se casam, quase sem amor, o insólito Linton morre, o que não foi uma surpresa para o pai ou para a viúva.

Continua após anúncio

Heathcliff trata Catherine com relativa misericórdia, transformando-a em uma criatura fria e distante, longe da brilhante e animada garota que costumava ser. Hareton e Catherine acabam se apaixonando, no entanto, e seu relacionamento, de certa forma, espelha e opõe-se àquele entre Heathcliff e a mãe, Catherine. Sua união quebra o ciclo de ódio no Morro dos Ventos Uivantes e Heathcliff não se importa mais em continuar sua vingança. Hareton, lembrando muito a sua tia Catherine Earnshaw, cria uma sensação de intranquilidade para Heathcliff: Brontë freqüentemente sugere que ele tem uma consideração secreta por Hareton e que Hareton vê Heathcliff como seu verdadeiro pai. A obra termina com a morte de Heathcliff, que se tornou um homem atormentado, assombrado pelo fantasma de Catherine, ao lado de quem ele pede para ser enterrado. Seu cadáver é inicialmente encontrado por Nelly Dean em seu quarto. Heathcliff fica inquieto até o final do romance e pára de comer. Nelly Dean não acredita que ele tenha a intenção de cometer suicídio, mas que sua fome pode ter sido a causa de sua morte. Ele queria estar com Cathy na vida eterna.

A sugestão é que Catherine, tendo anteriormente assombrado o Sr. Lockwood em sua janela no início da obra, fez uma visita semelhante a Heathcliff, levando-o para longe com ela para que possam estar juntos além do túmulo, que era o desejo de Heathcliff. Nelly relata sua revelação reveladora:

No final do romance, um servo diz a Nelly que viu os fantasmas de Heathcliff e Catherine caminhando juntos, embora Nelly e Lockwood insistam que devem ser tratados como se suas almas estivessem em paz. O romance fecha com Lockwood vagando por seus túmulos pensando “como alguém poderia imaginar um sono inquieto para os adormecidos naquela terra silenciosa”

Como Charlotte Brontë , irmã mais velha de Emily, escreveu: “Heathcliff, em ação, não é resgatado”, o que aumenta a incerteza sobre se ele não apenas se arrependeu de seus pecados, mas era na verdade um verdadeiro ser humano; já que a visão de Lockwood de Catherine na janela foi precedida por um sonho de um sermão de fogo e enxofre em uma igreja, é possível que tanto Heathcliff quanto Catherine estejam condenados. A própria Catherine expressa dúvidas sobre se ela poderia ser admitida no céu. O destino incerto da alma de Heathcliff, combinado com o mistério que o personagem de Heathcliff deixa para trás, termina o romance de uma maneira hipnotizante e misteriosa, justificando o status duradouro de Heathcliff como um anti-herói da literatura.

Informações técnicas do personagem

  • Nome: Heathcliff
  • Data de nascimento: Por volta de 1764
  • Local de nascimento: Desconhecido (encontrado morando em Liverpool), passando fome e sem moradia.
  • Aparência física: Grosseiro, de sobrancelhas baixas, cabelos pretos e bigodes. Atlético.
  • Cônjuge: Isabella Linton, em fevereiro 1784
  • Filhos: Linton Heathcliff, nascido 1784
  • Pais: Desconhecido
  • Irmãos: Desconhecido
  • Data de falecimento: Abril de 1802 (com cerca de 37 anos)
  • Local do falecimento: O Morro dos Ventos Uivantes
  • Resumo: Personagem central da trama, amor de Catherine e também o anti-herói da história.

No cinema e na TV

  • Laurence Olivier | Cinema (1939)
  • Ian McShane | Cinema (1967)
  • Timothy Dalton | Cinema (1970)
  • Ken Hutchison | TV (1978)
  • Ralph Fiennes | Cinema (1992)
  • Robert Cavanah | TV (1998)
  • Tom Hardy TV (2009)
  • James Howson | Cinema (2011)

Na cultura popular

  • “Wuthering Heights”, um single do álbum de estréia de Kate Bush em 1978, The Kick Inside, é contado a partir da perspectiva de uma fantasmagórica Catherine Earnshaw visitando um velho Heathcliff.
  • O ator australiano Heath Ledger e sua irmã receberam o nome de Heathcliff e Catherine Earnshaw.
  • Em julho de 2008, o então primeiro-ministro britânico, Gordon Brown , comparou-se ao personagem, dizendo que ele era “Talvez um Heathcliff mais velho, um Heathcliff mais sábio”.
  • Heathcliff também é mencionado na música de Michael Penn “No Myth”: “E se eu fosse Romeu de jeans preto? E se eu fosse Heathcliff, não é mito”.
  • A faixa de abertura do décimo primeiro álbum de estúdio da banda de hard rock melódico do Reino Unido, Albion , “Alone in the Dark”, baseia-se nas lutas internas de Heathcliff, descritas em ‘Wuthering Heights’.
  • Na primeira temporada do Sword Art Online , o nome do sistema do principal antagonista é “Heathcliff”. Este nome é apropriado porque a sua obsessão pelo seu trabalho levou-o a fazer coisas terríveis.

Laurence Olivier

Cinema (1939)

Ian McShane

TV (1967)

Timothy Dalton

Cinema (1970)

Ken Hutchison

TV (1978)

Ralph Fiennes

Cinema (1992)

Robert Cavanah

TV (1967)

Tom Hardy

Cinema (1970)

James Howson

TV (1978)