Nova versão de O Morro dos Ventos Uivantes recebe as primeiras críticas

Os críticos concordam que há algo genial sobre o ar naturalista que a diretora Andrea Arnold deu na nova versão para os cinemas de O Morro dos Ventos Uivantes.

Em sua apresentação no 68º Festival de Cinema Internacional de Veneza os críticos concordam que há algo genial sobre o ar naturalista que a diretora Andrea Arnold deu na nova versão para os cinemas de O Morro dos Ventos Uivantes. Sua decisão para o elenco, com atores e atrizes relativamente desconhecido parece ter valido a pena, recebendo elogios da maioria deles. A maior surpresa: um Heathcliff não-ortodoxo, que pela primeira vez na história da adaptação, é apresentado como negro. Apesar dos elogios, alguns acharam a nova versão demasiado austero e moderno.

Segue trecho das críticas e links (em inglês):

Screen Daily: “adaptação de Andrea Arnold do clássico de Emily Brontë, Wuthering Heights, não é um filme adorável, mas é corajoso e impressionante. Paradoxalmente, para toda a emoção explosiva de seu material de origem, este é um filme equilibrado e, curiosamente sóbrio. ”

Playlist: “Embora os puristas de Brontë possam ter problemas com algumas das decisões criativas de Arnold, eles também conseguem torná-lo uma radical, mas totalmente bem-sucedida, versão.”

Variety: “As características da primeira adaptação de Andrea Arnold, da obra de um outro escritor, infelizmente, é mais interessante na teoria do que é para assistir.”

Xan Brooks for The Guardian: “Um drama de costumes como nenhum outro. Mesmo que a escalação de um ator negro como Heathcliff torne o conto mais sobre a raça do que sobre a classe, a raiva fervendo que o leva poderia facilmente ter sido provocada por uma forma de opressão como a outra.”

The Telegraph: “A natureza é a verdadeira estrela de O Morro dos Ventos Uivantes de Andrea Arnold, uma adaptação prima que vai trazer um novo público para a história de Brontë. A cena em que Cathy (Beer Shannon) tende as feridas de Heathcliff depois de ter sido chicoteado é extraordinariamente comovente.”

AFP: “Devoção feroz e paixão crua ligam os personagens-amantes de Brontë, Cathy e Heathcliff, capturado por Arnold através de íntimas e sensuais tomadas de câmera e um display visceral das forças da natureza.

The Hollywood Reporter: “Não inclui, porém, a segunda metade do livro. Como quase todas as adaptações para a tela, a ação termina logo após a morte de Cathy. ”

Stephanie Zacharek for Movieline: “No final, eu não tive a carga emocional de O Morro dos Ventos Uivantes que eu estava esperando. Mas é certamente um dos filmes mais espinhosos e mais instigante do festival”.

Escreva um comentário